22 de mar de 2010

Foi só mais uma tarde de segunda feira.

Eu sei que você não vai ouvir. Você nunca ouviu. Até porque eu nunca pedi. Eu nunca pedi nada, naquele momento. Dizem que ninguém sabe o que tem até que se perde. Mas como dar mais valor do que eu te dei? Onde eu errei? Por favor, me diga. Não quero errar de novo como errei com você. Porque por mais que o tempo passe, sua lembrança está cravada em mim, e as feridas ainda aparecem com aquela música, aquelas lembranças, que insistem em me atormentar. E naquela tarde de segunda, chorava desesperadamente no chão da sala. Como se tivesse sido atingido por algo terrível. E foi. Algo terrível que mexeu com todos os meus sentimentos. E, embora saiba que foi apenas a primeira vez de muitas, não consigo esquecer. ):

3 de mar de 2010

Frente fria.

E o sol se escondeu. Cansou de se mostrar. Hora de tirar os casacos do armário, tomar chocolate quente. Hora de abraçar. Hora daqueles abraços capazes de derreter geleiras. E é nessa hora que eu sinto sua falta, amor. Pois só você é capaz de derreter essa geleira que circunda meu coração. Porque a sua volta, qualquer hora é hora de se sentir aquecido.
Mas o sol se escondeu. Você se escondeu. E eu, fiquei aqui sentindo frio, mesmo com todos os casacos e xícaras de chocolate quente do mundo.