23 de set de 2014

O barquinho.


Contra a tormenta misteriosa
Lá vai o barquinho
Desbrava mares
Dobra ventos e caminha
Do nada ao infinito

Ó, ser divino que nos observa
Diante da TV, de sua poltrona divina
Por que nos deixa nestes mares nunca antes navegados
Remando contra a maré
No barquinho da vida?

17 de ago de 2014

Garoto Duplo

Não seja dois
Pois ser dois
é tão ruim
Seja um
Seja seu
E esqueça
o que o mundo
pensará
Seja um
Seja só
Seja apenas
você
E seja
feliz

1 de mar de 2014

Valsa da solidão

São esses movimentos estranhos que distinguem você de qualquer outro.

A dança da vida é aquela que você tem de dançar, mesmo que não saiba. Mesmo que ela pareça um andar de bêbado. Com os pés cruzados, com os passos trocados, com um sorriso no canto dos lábios... A gente dança e a gente segue em frente. Pegamos na mão de alguém e ensinamos a dançar no meio do caminho, mas se nos largam não podemos ir ao chão. Cair jamais! Encontramos os passos na solidão. Dançamos no escuro, até o próximo par. Girando num círculo imperfeito, a vida é bem melhor quando a gente é feliz dançando sozinho.

Girando, dois pra lá, dois pra cá, e de mãos dadas... comigo mesmo. Eu danço sozinho.

Com um sorriso nos lábios.


Quer me acompanhar?

29 de jan de 2014

Acróstico da Solidão Feliz

Temo que a verdade vá doer
Ouça cuidadosamente:

Bem vindo de volta seria se
Eu estivesse louco de pedra
Maluco, internado em algum

Manicômio, sanatório ou afins
Então, mantenha distância!
Lúcido estou, sóbrio, limpo
Hoje estou devidamente curado!
Ópio meu, você foi mais que
Religião, filosofia de vida

Sempre lembrarei, não se engane
Embora cautelosamente
Mal ou bem, eu estou vivo

Vivo, sóbrio e limpo
Orgulhoso pelo meu trabalho de
Conseguir juntar os meus pedaços
E tentar de novo e de novo e de novo...